NotÍcias

Falta de documento faz goleiro Bruno adiar reconhecimento do filho de Eliza

O goleiro Bruno adiou o reconhecimento da paternidade do filho que teve com Eliza Samúdio. Segundo a defensa do ex-jogador do Flamengo, não foi possível lavrar a escritura em que vai acontecer o reconhecimento nesta terça-feira (15) por conta da falta do registro de nascimento da criança.

“O documento já está sendo providenciado. Rui Pimenta está responsável por fazer o contato com Dona Sônia [mãe de Eliza Samudio]”, disse ao G1 o advogado Francisco Simim. O defensor disse qu a certidão pode ser enviada por email e, caso chegue até a quarta, a escritura deve ser feita na quinta-feira.

Segundo Pimenta, Bruno quer resolver todas as questões pendentes em relaçãos aos filhos – duas meninas do casamento com Dayanne Souza e o filho de Eliza. O goleiro também pretende repassar parte de seus rendimentos aos filhos. “Bruno vai ofertar aos filhos 10% de tudo que ele vier a ganhar na vida. Se um time o contratar amanhã por R$ 5 milhões, ele vai dar R$ 500 mil para os filhos”, disse o defensor.

Esse dinheiro será depositado em uma conta aberta no nome das crianças e poderá ser sacado pelos responsáveis. Já fará parte dessa divisão o dinheiro que Bruno recebe por trabalhar na Penitenciária Nelson Hungria, cerca de R$ 500 por mês.

Caso Eliza Samudio
O goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus vão a júri popular no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. Para a polícia, Eliza foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de Belo Horizonte , e o corpo nunca foi encontrado.

Após um relacionamento com o goleiro Bruno, Eliza deu à luz um menino em fevereiro de 2010. Ela alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o menino mora com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

O goleiro, o amigo Luiz Henrique Romão – conhecido como Macarrão –, e o primo Sérgio Rosa Sales vão a júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Sérgio responde ao processo em liberdade. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, também está preso e vai responder no júri popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Bruno. Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela. Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade. Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não há previsão de data para o julgamento do caso Eliza Samudio.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
%d blogueiros gostam disto: