Ba X ViEsportes

Burse não confirma Ramon e pede para time “manter a bola” contra o Grêmio

Vitória encara o Tricolor gaúcho no domingo, às 19h (de Brasília), em Porto Alegre

suspensão de Arouca pelo terceiro amarelo abriu concorrência no meio-campo do Vitória para a partida contra o Grêmio. Durante a semana, o técnico interino João Burse fez testes para manter a formação tática com três volantes e improvisou o zagueiro Ramon no setor. O defensor larga na frente por uma vaga na equipe titular, mas não está confirmado. Burse afirmou que ainda estuda a melhor opção para o jogo de domingo, marcado para 19h (de Brasília), em Porto Alegre.

– Na verdade todo jogo fora de casa requer cuidados. Com o Grêmio não é diferente. Treinamos muitas situações durante a semana. Acabou que vocês não acompanharam todas as sessões. Mas é uma característica minha colocar vários atletas para vivenciar o sistema. Foi isso que fizemos ao longo da semana. Pontuar algumas situações mais defensivas, mas não abrir mão de jogar, uma das características que tivemos no segundo tempo contra o Cruzeiro – explicou.

Outra opção para a vaga de Arouca é Rodrigo Andrade, que ainda não jogou após o fim da intertemporada provocada pela Copa do Mundo. Willian Farias se recupera de um incômodo no joelho e desfalca o time no domingo.

– Willian Farias é uma situação do departamento médico, junto com o André [Lima]. Temos amanhã ainda para treinar. Testamos situações hoje e amanhã definimos a equipe – comentou Burse.

Contra o Grêmio, Burse espera que o Vitória repita a atuação do segundo tempo do empate com o Cruzeiro, no último domingo. A pretensão é que o time rubro-negro consiga manter a posse de bola para pressionar o adversário e evitar riscos defensivos.

– Acho que no começo do jogo [contra o Cruzeiro] erramos muito passe. Um pouco de ansiedade para ter a bola. Acho que melhoramos nos últimos dez minutos do primeiro tempo e no segundo tempo conseguimos ter mais a bola, automaticamente criamos mais situações de gol, pressionamos mais no campo de ataque. Isso é o principal, manter mais a bola. Temos atletas de qualidade que conseguem fazer esse rodízio e depois facilitar no um contra um no terço final.

Com 19 pontos, o Vitória ocupa a 14ª posição da tabela de classificação da Série A. O Grêmio está na 4ª posição, com 30 pontos.

Confira outras declarações de João Burse:

Grêmio com reservas e Marinho

– Estamos monitorando o Grêmio, podem acontecer várias formações. Contra o Flamengo utilizaram um time alternativo, que mesmo assim foi muito forte. Contra o Estudiantes o Pepê foi titular. Ele estava naquele time alternativo. Então, é tentar pensar com a cabeça do Renato [Gaúcho], possibilidades que ele possa colocar contra o Vitória, pensando que quarta-feira ele vai jogar pela Copa do Brasil. Todos os jogadores requerem cuidados, o Marinho não é diferente, pela característica de velocidade, muito agudo no um contra um. Estamos nos preparando para isso.

Intensidade

– As equipes que trabalho sempre priorizo isso, posse e intensidade, não só para jogar, mas para marcar também. Isso é um processo, aos poucos vamos adquirindo isso. Conseguiram fazer em momentos contra o Cruzeiro, pressionar, principalmente jogando em casa. Temos que bater nisso, pressionar mais um pouco o adversário, jogar com a torcida. Isso vai fazer com que fique mais natural.

Adaptação

– Tudo leva tempo de trabalho. Naquele jogo contra o Cruzeiro tivemos quatro sessões [de treinos]. Hoje esse número já aumentou. A medida que vai assimilando, vai mudando a maneira como o time joga. Treinadores têm características diferentes de trabalhar. E também potencializando as situações boas que o Mancini colocou. É um conjunto de situações que a gente deixa o time cada vez mais forte.

Como subir na tabela de classificação?

– Jogo a jogo. Focar em cada jogo. Os jogos em casa principalmente, precisamos buscar a vitória, e ter muito cuidado quando for jogar fora, cuidado especial na marcação. Ao mesmo tempo temos que buscar triunfos fora para sair dessa zona intermediária de rebaixamento.

Exemplos de fora

– Na verdade não é modelo europeu. Coloco situações que ajudem nosso sistema de jogo. Um 4-3-3, com um volante e dois meias, que pode ser um mais marcador e outro mais organizador. Tento mostrar situações de marcação alta, baixa. Não dei só exemplo de equipes europeias. Dei exemplo do Estudiantes, que jogou contra o Grêmio na Libertadores, estava com um 4-3-3, com um volante e dois meias, com marcação alta. Esse tipo de situação, visualizando, se torna mais fácil de assimilar.

Bruno Gomes

– Bruno está convocado. Irá para esse jogo.

suspensão de Arouca pelo terceiro amarelo abriu concorrência no meio-campo do Vitória para a partida contra o Grêmio. Durante a semana, o técnico interino João Burse fez testes para manter a formação tática com três volantes e improvisou o zagueiro Ramon no setor. O defensor larga na frente por uma vaga na equipe titular, mas não está confirmado. Burse afirmou que ainda estuda a melhor opção para o jogo de domingo, marcado para 19h (de Brasília), em Porto Alegre.

– Na verdade todo jogo fora de casa requer cuidados. Com o Grêmio não é diferente. Treinamos muitas situações durante a semana. Acabou que vocês não acompanharam todas as sessões. Mas é uma característica minha colocar vários atletas para vivenciar o sistema. Foi isso que fizemos ao longo da semana. Pontuar algumas situações mais defensivas, mas não abrir mão de jogar, uma das características que tivemos no segundo tempo contra o Cruzeiro – explicou.

Outra opção para a vaga de Arouca é Rodrigo Andrade, que ainda não jogou após o fim da intertemporada provocada pela Copa do Mundo. Willian Farias se recupera de um incômodo no joelho e desfalca o time no domingo.

– Willian Farias é uma situação do departamento médico, junto com o André [Lima]. Temos amanhã ainda para treinar. Testamos situações hoje e amanhã definimos a equipe – comentou Burse.

Contra o Grêmio, Burse espera que o Vitória repita a atuação do segundo tempo do empate com o Cruzeiro, no último domingo. A pretensão é que o time rubro-negro consiga manter a posse de bola para pressionar o adversário e evitar riscos defensivos.

– Acho que no começo do jogo [contra o Cruzeiro] erramos muito passe. Um pouco de ansiedade para ter a bola. Acho que melhoramos nos últimos dez minutos do primeiro tempo e no segundo tempo conseguimos ter mais a bola, automaticamente criamos mais situações de gol, pressionamos mais no campo de ataque. Isso é o principal, manter mais a bola. Temos atletas de qualidade que conseguem fazer esse rodízio e depois facilitar no um contra um no terço final.

Com 19 pontos, o Vitória ocupa a 14ª posição da tabela de classificação da Série A. O Grêmio está na 4ª posição, com 30 pontos.

Confira outras declarações de João Burse:

Grêmio com reservas e Marinho

– Estamos monitorando o Grêmio, podem acontecer várias formações. Contra o Flamengo utilizaram um time alternativo, que mesmo assim foi muito forte. Contra o Estudiantes o Pepê foi titular. Ele estava naquele time alternativo. Então, é tentar pensar com a cabeça do Renato [Gaúcho], possibilidades que ele possa colocar contra o Vitória, pensando que quarta-feira ele vai jogar pela Copa do Brasil. Todos os jogadores requerem cuidados, o Marinho não é diferente, pela característica de velocidade, muito agudo no um contra um. Estamos nos preparando para isso.

Intensidade

– As equipes que trabalho sempre priorizo isso, posse e intensidade, não só para jogar, mas para marcar também. Isso é um processo, aos poucos vamos adquirindo isso. Conseguiram fazer em momentos contra o Cruzeiro, pressionar, principalmente jogando em casa. Temos que bater nisso, pressionar mais um pouco o adversário, jogar com a torcida. Isso vai fazer com que fique mais natural.

Adaptação

– Tudo leva tempo de trabalho. Naquele jogo contra o Cruzeiro tivemos quatro sessões [de treinos]. Hoje esse número já aumentou. A medida que vai assimilando, vai mudando a maneira como o time joga. Treinadores têm características diferentes de trabalhar. E também potencializando as situações boas que o Mancini colocou. É um conjunto de situações que a gente deixa o time cada vez mais forte.

Como subir na tabela de classificação?

– Jogo a jogo. Focar em cada jogo. Os jogos em casa principalmente, precisamos buscar a vitória, e ter muito cuidado quando for jogar fora, cuidado especial na marcação. Ao mesmo tempo temos que buscar triunfos fora para sair dessa zona intermediária de rebaixamento.

Exemplos de fora

– Na verdade não é modelo europeu. Coloco situações que ajudem nosso sistema de jogo. Um 4-3-3, com um volante e dois meias, que pode ser um mais marcador e outro mais organizador. Tento mostrar situações de marcação alta, baixa. Não dei só exemplo de equipes europeias. Dei exemplo do Estudiantes, que jogou contra o Grêmio na Libertadores, estava com um 4-3-3, com um volante e dois meias, com marcação alta. Esse tipo de situação, visualizando, se torna mais fácil de assimilar.

Bruno Gomes

– Bruno está convocado. Irá para esse jogo.

Fonte: GE

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
%d blogueiros gostam disto: